Autismo Necessidades Educativas Saúde Infantil

Tratamento para Autismo: principais terapias para TEA

Cláudia Pereira
Escrito por Cláudia Pereira

Não existe cura para o Transtorno do Espectro Autista (TEA), mas diversas terapias são utilizadas para reduzir sintomas, melhorar capacidades cognitivas e maximizar a capacidade da criança autista para interagir e participar da comunidade. Saiba quais as terapias que pode utilizar para melhorar a vida do seu filho com autismo.


As terapias para autismo mais utilizadas são as terapias comportamentais,  através das quais pais e profissionais trabalham em conjunto para melhorar as capacidades comunicacionais e as competências físicas e sociais da criança. Ao ser acompanhada, a criança autista pode ser capaz de se autoregular, expressar-se de forma mais adequada, desenvolver relacionamentos com colegas e pais e concentrar-se em tarefas, desenvolvendo a sua independência e autoconfiança.

É muito importante que o plano de tratamento seja multidisciplinar, ou seja, que envolva médicos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos, professores e outros profissionais. Cuidados com a alimentação, adoção de uma rotina diária e a utilização de terapias complementares, como a musicoterapia ou snoezelen, também são fundamentais para a melhora dos sintomas das crianças com TEA.

Terapia Ocupacional

A terapia ocupacional, dentro do universo autista, procura trabalhar principalmente três áreas: atividades de vida diária, atividades relacionadas a escola e atividades relacionadas com o brincar. O grande objetivo é ajudar a criança, com transtorno do espectro autista, a tornar-se mais independente e melhorar o comportamento e a qualidade de vida, tanto em casa como na escola.

Estas são algumas das competências que a terapia ocupacional pode trabalhar com a criança com TEA:

  • Desenvolvimento da capacidade executar tarefas quotidianas (ao wc, vestir-se, escovar os dentes, pentear cabelos, calçar sapatos, comer sozinho, etc);
  • Desenvolvimento da motricidade fina (por exemplo, treinar a caligrafia ou utilizar uma tesoura);
  • Estimulação da coordenação motora ampla e do equilíbrio, usadas para andar de bicicleta;
  • Brincar funcional, resolução de problemas e habilidades sociais.

Fonoaudiologia (Terapia da Fala)

As crianças dentro do espectro do autismo podem apresentar dificuldades na comunicação, muitas vezes não chegando a desenvolver a fala. A terapia da fala é fundamental no tratamento das crianças com autismo, pois ajuda no processo de desenvolvimento da linguagem.

Muitas vezes são utilizados métodos alternativos de comunicação como os PECS, onde a criança aprende trocar o símbolo pelo objeto desejado.

Fisioterapia

O fisioterapeuta atua diretamente nas capacidades motoras da criança autista, desenvolvendo funções básicas, como andar, sentar, ficar de pé, jogar, rolar, tocar objetos, engatinhar e movimentar-se.

Para além dos exercícios que este profissional faz com a criança, também pode propor atividades para que os pais façam com o filho com TEA em casa. Para a criança autista, é mais proveitoso realizar as atividades em casa, num local onde se sente seguro  confortável.

Psicoterapia

Esta terapia pretende ajudar as crianças com TEA, estimulando os comportamentos sociais, reforçando as atividades da vida diária e reduzindo os comportamentos problemáticos como agressões, estereotipias, autolesões, agressões verbais e fugas.

Uma das técnicas que é amplamente utilizada com crianças com autismo é a ABA (Análise Aplicada do Comportamento), que reforça os comportamentos positivos. Esta terapia é aplicada de forma intensa e individualizada, para que a criança autista possa tornar-se independente e integrar-se melhor socialmente.

A TEACCH (sigla em inglês para Tratamento e Educação para Autistas e Crianças com Déficits relacionados à Comunicação), um dos métodos mais usados, ajuda a criança com TEA a melhorar as suas capacidades de adaptação ao meio ambiente.

Musicoterapia

Esta terapia complementar utiliza a música e os seus elementos (som, ritmo, melodia e harmonia) para auxiliar no tratamento de crianças com TEA. A simples presença da música no dia-a-dia auxilia no desenvolvimento físico, pessoal, social, intelectual e emotivo, melhorando a qualidade de vida.

Como a criança com autismo apresenta dificuldades na comunicação e na linguagem, um dos objetivos principais da musicoterapia é criar através da música uma janela de comunicação social.

Snoezelen

Snoezelen é um ambiente multissensorial que permite estimular os sentidos clássicos como o toque, o paladar, a visão, o som, o cheiro, assim como o sentido propriocetivo (noção do corpo e da posição em que se encontra) e o vestibular (relacionado com o equilíbrio).

As crianças com TEA beneficiam da utilização desta técnica, porque se sentem relaxadas num ambiente que propicia a aprendizagem e sentimentos de bem-estar.

Sobre o Autor

Cláudia Pereira

Cláudia Pereira

Educadora Social, formadora certificada, especialista em educação, dificuldades de aprendizagem e necessidades educativas especiais.
Empreendedora digital, criativa e apaixonada por implementar novas ideias!