Autismo NEE

O que é Autismo: principais sintomas e características

Cláudia Pereira
Escrito por Cláudia Pereira

O que é o Autismo?

O autismo, ou Transtorno de Espectro Autista, é um transtorno do desenvolvimento que se manifesta na infância comprometendo a comunicação da criança com os outros e por isso a sua socialização fica mais difícil. Além disso, o autista apresenta interesses muito peculiares e repetem muito alguns movimentos.


Existem diferentes tipos de autismo com intensidades variadas, o diagnóstico é feito pelo médico após meses (ou anos) de estudo e apesar de não existir nenhum medicamento ou terapia que possa curar o autismo de forma definitiva, existem várias terapias que podem ser utilizadas para melhorar a convivência familiar e diminuir a intensidade dos sintomas.

Principais Sintomas do Autismo

Os sinais de autismo podem começar a ser observados desde a mais tenra idade, entre os 1 e 2 anos de idade pode notar-se que a criança se comporta de forma diferente das outras, mas é mais comum que somente entre os 4 e 5 anos de idade é que as suas características se tornam mais evidentes, chamando atenção dos pais e educadores que lidam de forma próxima com a criança autista.

Esse diagnóstico tardio do autismo traz grandes prejuízos para a criança, porque está comprovado que as terapias podem auxiliar no desenvolvimento cerebral quando são realizadas desde a mais tenra idade, quando o cérebro é mais propenso a alterações, que podem impedir que o autismo se instale de forma tão grave.

Primeiros sintomas do autismo

Dessa forma, é de extrema importância que se chegue ao diagnóstico de autismo o quanto antes para iniciar as terapias que podem impedir a sua grave evolução. Alguns sinais que podem indicar autismo nos primeiros anos de vida da criança são:

  • Atraso no desenvolvimento, como andar mais tarde, sentar mais tarde;
  • Sensibilidade diminuída, com menos reações a estímulos dolorosos, como água quente, calor ou frio;
  • Pouca importância às recompensas sociais, como gostar de abraços e beijos por pegar algum brinquedo;
  • Não conseguir prestar atenção a uma determinada tarefa;
  • Não apreciar o contacto físico com os pais, irmãos e amigos mais próximos.

Sinais de autismo no ano de vida

  • A criança deixar de balbuciar, não olhar nos olhos e não sorrir ao encontrar pessoas;
  • Não demonstrar nenhum interesse para músicas, brinquedos musicais, ruídos e vozes de pessoas próximas dela;
  • Gostar mais de objetos do que de pessoas e não mostrar interesses por rostos de pessoas;
  • Não sorrir ao brincar, cantar, dançar ou estar em contacto com outra pessoa;
  • Não gostar de falar, não falar ou falar muito pouco;
  • Não responde pelo nome e não gosta de toque, de colo, de abraço;
  • Não sorrir quando é estimulado a sorrir;
  • Fixação por algum objeto, como a maçaneta da porta;
  • Parecer não se preocupar por sons muito altos;
  • Não apreciação ao colo, não olhar nos olhos da mãe ao ser amamentado;
  • Dificuldade de sono, preferir dormir sozinho, mas sono agitado;
  • Irritabilidade, mesmo no colo da mãe;
  • Não gostar de fazer imitações.

O diagnóstico deve ser feito pelo pediatra após avaliação do psiquiatra infantil e do neuropediatra.

Características do Autismo

Os estudos de Tomchek Huebner e Dunn apontam 6 fatores, que caracterizam os principais comportamentos observados nas crianças com Transtorno do Espectro Autista:

  1. Baixa energia fraqueza: a criança parece ter os músculos mais fracos que o normal, dificuldade para segurar objetos um pouco mais pesados, o movimento de apreensão com as mãos também é fraco;
  2. Sensibilidade e movimentos: não gosta de toque, nem de andar descalço, na grama ou na areia; não aprecia o colo e parece incomodado quando os pés não tocam o chão, parece ter medo de altura e de certos movimentos;
  3. Sensibilidade gustativa olfativa: escolhe apenas alguns alimentos para comer, sendo quase todos com a mesma textura e não aprecia sabores e aromas típicos que as crianças gostam;
  4. Sensibilidade auditiva visual: fica incomodado com luzes piscando, e tapa os olhos com as mãos, tapa os ouvidos porque não gosta de trabalhar com música de fundo;
  5. Procura sensorial distração: tem dificuldade em prestar atenção, faz barulhos estranhos, fica muito agitado com brincadeiras com movimento, muda de brincadeira de uma hora para outra;
  6. Hiporresponsividade: Não se preocupa se mãos ou rosto estão sujos, apesar de ter uma audição normal, não responde pelo seu nome, parece não ouvir o que lhe dizem, a roupa pode estar toda embolada no corpo, e isso o não incomoda.

Tratamento do Autismo

Ao chegar ao diagnóstico do autismo é necessário que os pais realizam diversas terapias para que a criança tenha menos sintomas e possa se desenvolver de forma adequada. Essas terapias podem ajudar a melhorar a socialização da criança, a comunicação, promover o desenvolvimento intelectual, favorecer a autonomia, e diminuir o desgaste familiar.

Dentre as terapias sugeridas estão a estimulação psicomotora, terapia ocupacional, modelo Denver de intervenção precoce para crianças autistas, estimulação cognitiva comportamental, coaching parental, método TEACCH e terapia de integração sensorial. Saiba mais sobre algumas destas terapias.

Os medicamentos também podem ser necessários, mas não são de uso obrigatório para todos os que apresentam TEA, dentre eles estão a melatonina, os probióticos, remédios para ansiedade, TDHA e epilepsia. Mudanças na alimentação também pode melhorar o comportamento da criança autista.

Sobre o Autor

Cláudia Pereira

Cláudia Pereira

Educadora Social, formadora certificada, especialista em educação, dificuldades de aprendizagem e necessidades educativas especiais.
Empreendedora digital, criativa e apaixonada por implementar novas ideias!