Saúde Infantil

7 dicas para gerir a ansiedade e o stress das crianças

Marcelle da Costa
Escrito por Marcelle da Costa

Episódios de ansiedade e stress também podem afetar as crianças quando estas não sabem lidar com suas emoções, deixando rastro por onde passa. A criança pode apresentar sintomas como:


  • Tristeza;
  • Falta de interesse em brincar;
  • Baixas notas na escola;
  • Tornar-se violenta com os outros.

Nesse caso, se os sintomas persistirem por semanas ou meses é importante que a criança seja levada ao psicólogo para que possa ser acompanhada por um profissional devidamente habilitado, que poderá utilizar os mecanismos ideais para ensinar a criança a vencer seus medos e anseios.

Dicas para vencer os transtornos mentais na infância

Algumas dicas que podem ajudar a lidar com a ansiedade e o stress na infância são:

1.Compreensão

Os pais não devem minimizar os sentimentos que a criança apresenta, é legítimo que ela fique nervosa, tenha palpitações cardíacas e as mãos frias em momentos onde sente medo. Nosso corpo sempre reage assim quando estamos diante de uma situação onde na natureza seria preciso fugir. O problema é que não temos para onde fugir e os sintomas persistem por mais tempo que deveriam.

2. Conversa

Conversar com a criança que está apresentando um quadro de ansiedade ou stress é o primeiro passo. Procure saber como foi a escola, o que ela fez, se ela está triste e tente descobrir porque ela está se sentindo assim.

3. Desenhos

Por vezes, a criança pode ter dificuldade em verbalizar o que sente e pedir para que faça um desenho pode ajudar a descobrir o que está causando medo ou ansiedade.

4. Tente acalmá-la

A criança que sofre bulling, que esteve presente num momento de violência, perdeu um familiar querido devido a doença ou que sofreu algum tipo de abuso, sente-se em perigo e abandonada, por isso é normal que não queira passar por determinada rua, no caminho da escola, por exemplo se ali algo de mau aconteceu com ela. Você pode acalmá-la, sendo compreensível e passando por outro caminho. Segure na sua mão e mostre que está com ela, para a proteger.

5. Técnicas de relaxamento

Uma estratégia que pode ajudar a criança a se sentir melhor e mais relaxada é a técnica de relaxamento de Jacobson, que consiste em deixar a criança deitada num local seguro e confortável e pedir para que ela contraia os músculos do braço e a seguir relaxe, deixando seu braço mais pesado. Esse procedimento deve ser feito com cada parte do corpo, e promove um bom estado de relaxamento geral, ajudando a pegar no sono, por exemplo.

6. Controlando a respiração

Ensine a criança que ela pode se acalmar controlando sua respiração. Deixe-a num local calmo e seguro, onde pode estar sentada confortavelmente, na cama ou no sofá, por exemplo e peça a ela para fechar os olhos e colocar as mãos sobre a barriga. Deve inspirar profundamente enchendo a barriga de ar, e depois deve soltar o ar devagarinho, como se estivesse apagando uma vela suavemente. Deve respirar assim por alguns minutos até se sentir mais calma e relaxada.

7. Ambiente seguro

As crianças precisam se sentir amadas e seguras. Sempre que possível demostre seu amor e que vai estar disponível para a proteger. As crianças que crescem num ambiente tranquilo são mais seguras emocionalmente e se tornarão adultos maduros, que tomarão melhores decisões na vida.

Estas dicas gerais podem ser úteis para todas as crianças, em qualquer situação da vida, alcançando ótimos resultados, no entanto, se os pais sentem que não está sendo suficiente e que a criança continua apresentando sinais e sintomas de ansiedade e stress difíceis de controlar devem buscar um psicólogo para atender a criança. Existem psicólogos que atendem gratuitamente no SUS, não minimize a dor e o sofrimento da criança que precisa de atenção e saúde mental.

Algumas crianças, que foram expostas à violência massiva, homicídio familiar, suicídio, abuso ou que foram expostas à eventos perigosos repetidas vezes podem precisar de um tratamento prolongado, casos severos assim precisam de atenção profissional, da família e do terapeuta. Casos mais leves e simples de resolver podem precisar de apenas algumas semanas ou meses de tratamento.

Sobre o Autor

Marcelle da Costa

Marcelle da Costa

Fisioterapeuta credenciada, com formação em Psicomotricidade e Desenvolvimento Infantil.
Empreendedora social, prática e sempre pronta a ajudar!