Necessidades Educativas Saúde Infantil Síndrome de Down

O que é a Síndrome de Down?

Marcelle da Costa
Escrito por Marcelle da Costa

A Síndrome de Down pode ser descoberta durante a gravidez através da realização do exame de translucência nucal, às 13 semanas de gestação, mas existem uma série de características que podem ajudar no diagnóstico dessa síndrome após o nascimento. O tratamento é feito com sessões de fisioterapia durante a infância, mas não existe cura, embora o portador da síndrome possa ter uma vida longa e muito próximo do ‘normal’.


A Síndrome de Down é uma doença genética, que afeta em maior número os meninos. Cerca que 80% dos bebês com Down nascem de mães com menos de 35 anos, no entanto, as chances de uma mulher com mais de 36 anos ter um bebê com Síndrome de Down é maior.

Características da Síndrome de Down

A criança com Síndrome de Down apresenta:

  • Baixa altura em relação à idade;
  • Linha de implantação das orelhas mais baixas;
  • Boca sempre entreaberta e aparecendo a língua;
  • Apenas 1 linha na palma das mãos;
  • Atraso no desenvolvimento físico e motor;
  • Pescoço curto;
  • Atraso no aprendizado;
  • Alterações cardíacas que necessitam de cirurgia;
  • Alterações na visão, como estrabismo e formação precoce de catarata;
  • Pode haver uma diminuição da audição;
  • Pode haver uma dificuldade na fala devido o tamanho da língua;
  • Apenas 1 articulação o dedão do pé, ao invés de duas;
  • Pés largos e dedos curtos.

Algumas crianças podem apresentar uma alteração ao nível da coluna cervical, onde 2 vértebras não estão devidamente posicionadas o que faz com que a criança tenha a cabeça pendendo para o lado. Saiba como diagnosticar a Síndrome de Down.

Tratamento da Síndrome de Down

O tratamento não visa a cura, porque ela não existe, mas é feito para elevar as capacidade da criança. A estimulação psicomotora, a fisioterapia e a terapia ocupacional são os tratamentos que devem ser realizados semanalmente por um longo período de tempo para melhorar a qualidade de vida da criança e da sua família.

Quando a criança apresenta alterações cardíacas pode ser indicado realizar uma cirurgia ao coração, que normalmente resolve essa questão, não sendo necessário o uso de medicamentos para o coração. Por causa disso, os médicos solicitam diversos exames cardíacos para uma constante avaliação do ponto de situação.

A fisioterapia e a estimulação psicomotora são uma grande ajuda para ajudar o bebê a sentar, rolar e andar, que normalmente estão atrasados nessas crianças. Assim, devem começar logo no 1º mês de vida. A fonoaudiologia pode ajudar na alimentação e na fala porque ajuda a melhorar o tônus da língua e dos músculos da face e da boca, sendo importante até mesmo para a fase da amamentação e quando o bebê começa a comer sólidos, por volta dos 6 ou 7 meses de vida.

Confira alguns livros que podem ajudar a lidar com a Síndrome de Down

Sobre o Autor

Marcelle da Costa

Marcelle da Costa

Fisioterapeuta credenciada, com formação em Psicomotricidade e Desenvolvimento Infantil.
Empreendedora social, prática e sempre pronta a ajudar!