Autismo Saúde Infantil

Quais os Medicamentos para Tratar Autismo?

Cláudia Pereira
Escrito por Cláudia Pereira

Os medicamentos para autismo não curam a síndrome, mas ajudam no controle dos sintomas. Na realidade, não existem medicamentos específicos para o Transtorno do Espectro Autista (TEA), mas muitas vezes são prescritos medicamentos para controlar a hiperatividade, dificuldades de comunicação, a irritabilidade ou o sentimento de frustração.


Medicamentos que Atenuam Sintomas do TEA

O Autismo apresenta um largo espectro de sintomas, que podem variar de criança para criança, por isso não existe um medicamento que seja eficaz em todas as situações. Normalmente, a medicação é prescrita a par de outras terapias e tratamentos. Por exemplo, musicoterapia, psicoterapia, psicomotricidade e determinados cuidados com a alimentação.

É importante referir que o diagnóstico e o tratamento do Transtorno do Espectro Autista deve ser realizado por uma equipa de profissionais da saúde e educação, como neuropediatra, fisioterapeuta, psicólogo, terapeuta ocupacional e fonoaudiólogo.

Estes são alguns dos medicamentos que podem receitados pelo médico responsável pelo tratamento da criança autista:

Antidepressivos
As pesquisas revelaram que indivíduos com autismo têm alterações nos níveis do neurotransmissor serotonina. Assim, os chamados medicamentos inibidores selectivos de recaptação de serotonina como Prozac e Zoloft, ajudam a regularizar os níveis de serotonina. No entanto no caso de crianças são utilizados com cuidado.

Antipsicóticos
Ajudam a diminuir a agressão e a melhorar problemas comportamentais associados ao autismo, isto porque reduzem  a quantidade do neurotransmissor dopamina no cérebro. Risperidona é um antipsicótico aprovado especificamente para crianças e adolescentes autistas entre os 5  e os 16 anos, tendo menos efeitos secundários que os medicamentos mais antigos.

Estimulantes
Ritalina, medicamento utilizado para o Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade revela-se, por vezes, eficaz para controlar os sintomas de hiperatividade nas crianças autistas.

Sobre o Autor

Cláudia Pereira

Cláudia Pereira

Educadora Social, formadora certificada, especialista em educação, dificuldades de aprendizagem e necessidades educativas especiais.
Empreendedora digital, criativa e apaixonada por implementar novas ideias!