Saúde Infantil

Sarampo: tudo o que precisa saber!

Marcelle da Costa
Escrito por Marcelle da Costa

O sarampo é uma doença infecto-contagiosa de fácil transmissão de uma pessoa para outra que passa através do ar. Esta é uma doença viral que pode se tornar grave e colocar em risco a vida de pessoas que tem um sistema imunitário mais frágil.


Felizmente o sarampo pode ser evitado através da vacinação, que faz parte do plano nacional de vacinas do Brasil e Portugal, dentre outros países, no entanto com a onda anti-vacina que tem se espalhado no mundo essa doença, antigamente erradicada, voltou à tona porque nem todos os pais vacinaram adequadamente seus filhos.

Sintomas do sarampo

O sarampo manifesta-se através de sintomas como:

  • Febre alta (38,5ºC);
  • Tosse;
  • Coriza;
  • Espirros;
  • Conjuntivite;
  • Reação à luz do sol;
  • Manchas vermelhas na pele que iniciam na cabeça e vai descendo até os pés;
  • Pequenos pontos amarelados na mucosa dentro da boca;

O sarampo pode causar graves complicações nas crianças com menos de 2 anos de vida e nos adultos jovens.

A permanência da febre após o 3º dia do surgimento das manchas na pele indica gravidade e que o corpo possa estar enfrentando pneumonia, infecção de ouvido, diarreia ou doenças neurológicas como a encefalite.

Como é a feita a transmissão

A transmissão do sarampo acontece de uma pessoa para outra através do ar, pelo contato com as gotículas de saliva ao tossir, falar ou espirrar, que se espalham facilmente pelo ar. A transmissão deste vírus começa até 6 antes do surgimento das manchas vermelhas na pele, isto é, antes do diagnóstico do sarampo existir, e permanece até 4 dias depois da resolução do quadro.

Quem pode ter sarampo

Todas as pessoas não vacinadas contra o sarampo podem pegar sarampo ao entrar em contato com o vírus. Os bebês até 9 meses de idade podem estar mais protegidos caso sua mãe tenha sido adequadamente vacinada, nesse caso isso acontece devido a entrada de anticorpos contra o sarampo que passa pela placenta durante a gravidez. No entanto, ela perde-se após este período e então o bebê precisa ser vacinado.

Tratamento do sarampo na criança

O tratamento do sarampo não é específico e o uso de antibióticos é totalmente contra-indicado, sendo recomendado apenas em caso de infecção respiratória grave (pneumonia). O pediatra pode indicar o uso de doses de Vitamina A em forma de cápsulas ou solução oral por 2 dias para as crianças de até 2 anos de idade.

É importante manter a criança devidamente hidratada, oferecendo bastante água e suco de fruta ao longo do dia e controlar a febre com medidas caseiras e com Dipirona, sob indicação médica.

As crianças normalmente se recuperam completamente após 4 à 8 semanas do início dos sintomas.

Criança com sarampo pode ir à creche ou escola?

Em caso de suspeita de sarampo a criança contaminada não deve ir à creche ou à escola para evitar a contaminação dos colegas. Para a proteção de todos, todas as crianças devem tomar a vacina do sarampo aos 12 e 15 meses de vida. Em muitos países do mundo as crianças que não estão devidamente vacinadas não podem se matricular nas escolas.

Apesar de ser altamente contagioso o sarampo não causa complicações nas pessoas saudáveis, no entanto pode causar graves complicações e culminar na morte de pessoas que tem o sistema imunitário mais frágil, como é o caso de crianças com doenças crônicas, que fizeram algum transplante, tem câncer ou outra doença grave.

Como proteger meu bebê que ainda não foi vacinado

Quem tem um bebê com menos de 12 meses de vida e que ainda não foi vacinado contra o sarampo deve evitar levar o bebê a locais fechados como shopping, cinema, salão de conferência, e reuniões em locais fechados onde há pouca circulação/renovação do ar. Também deve evitar que seu filho tenha contato direto com pessoas que estão aparentemente com gripe, com febre, tosse e espirros para evitar que ele seja contaminado.

De forma geral o bebê precisar estar bem alimentado e hidratado. O leite materno deve ser exclusivo até os 6 meses de vida e a partir daí deve oferecer papa de fruta e papa de legumes com carne, peixe ou frango 1 ou 2 vezes por dia, conforme a orientação do pediatra. Criança bem nutrida, no peso certo, tem menos chances de ficar doente e se ficar, tem mais facilidade de se recuperar rapidamente.

Sobre o Autor

Marcelle da Costa

Marcelle da Costa

Fisioterapeuta credenciada, com formação em Psicomotricidade e Desenvolvimento Infantil.
Empreendedora social, prática e sempre pronta a ajudar!