Saúde Infantil

Como prevenir o afogamento de crianças

Marcelle da Costa
Escrito por Marcelle da Costa

Todos os anos um grande número de crianças morre afogada em piscinas, tanques, rios, açudes, mares e até mesmo em pouca água como em baldes e banheiras. Estas mortes poderiam ser evitadas ao tomar medidas de segurança simples, que estão ao alcance de todos, como não deixar a criança sozinha, sem vigilância alguma. O período em que a família viaja de férias para locais quentes são os mais perigosos, sendo o 1.º dia de férias e os finais de tarde os momentos em que acontecem mais mortes por afogamento.


A morte por afogamento é rápida e silenciosa, em apenas 2 minutos submersa a criança se afoga e em 4 minutos submersa o seu cérebro pode sofrer danos irreparáveis. As crianças podem se afogar em pequenas quantidades de água, com apenas 2,5cm de altura de água, como num balde ou dentro do vaso sanitário. Como possuem a cabeça mais pesada que o corpo, se algum brinquedo cair dentro do vaso sanitário, ela poderá se afogar ali, por isso deixe-0 sempre tampado.

O que fazer para evitar o afogamento

1.Identifique os locais perigosos: É preciso estar atento ao local onde se está e verificar possíveis perigos envolvendo água. A casa de férias pode não ter piscina, mas a do vizinho pode ter e se a criança tiver acesso ao quintal dele, pode ser perigoso. Assim, logo que chegar ao local verifique a segurança do local fazendo uma ronda, sem as crianças por perto.

2. Converse com a criança sobre as regras para entrar na água: É sempre bom conversar com a criança deixando bem claro quando ela poderá entrar na água. Mesmo crianças muito pequenas de 1 ou 2 anos podem captar a mensagem!

3. Não deixe a criança sozinha: Nem por um instante a criança deve ficar sozinha, esteja atento a elas mesmo quando está no telefone, pois, num piscar de olhos algo ruim pode acontecer.

4. Dificulte o acesso à água: Se tem piscina em casa, coloque um gradeamento à volta da piscina ou coloque uma cobertura sobre a água que seja resistente a quedas, nunca se sabe quando a bola irá parar em cima da cobertura e a criança vai decidir ir buscar, sem perceber que pode afundar mesmo assim.

5. Ensine a criança a não ter medo da água e a nadar: Bebês desde os 6 meses de vida podem frequentar aulas de natação e muitas crianças com 2 ou 3 anos já conseguem nadar. Não subestime o seu filho, ele pode aprender a nadar desde muito cedo, mas mesmo que saiba nadar não deve ser deixado sozinho na água.

6. Na água certifique-se de que a criança usa sempre boias: As boias devem ser adequadas à idade da criança e mesmo com boias não devem ficar sozinhas, pois podem virar e a criança se afogar mesmo assim. Os coletes salva-vidas adequados ao tamanho das crianças são os mais seguros.

7. Brincadeiras seguras: Ensine a criança a brincar sem empurrar, sem fingir o afogamento e sem correr dentro da água.

Em caso de afogamento é preciso pedir ajuda aos bombeiros, salva-vida ou nadador-salvador porque eles saberão o que fazer. Se possível, faça um curso de primeiros socorros para afogamento, disponível em vários locais, especialmente no período de férias.

Sobre o Autor

Marcelle da Costa

Marcelle da Costa

Fisioterapeuta credenciada, com formação em Psicomotricidade e Desenvolvimento Infantil.
Empreendedora social, prática e sempre pronta a ajudar!