Livros Infantis Escola

Fábulas de Luís Sepúlveda: histórias com moral

Cláudia Pereira
Escrito por Cláudia Pereira

Fábulas infantis são narrativas com uma linguagem simples, objetiva e direta. Normalmente, nas fábulas, as personagens possuem características humanas, motivando as crianças a refletirem sobre o comportamento em sociedade.


Listamos quatro fábulas de Luís Sepúlveda, ideias para serem lidas pelas crianças. Algumas destas histórias fazem parte do plano nacional de leitura em Portugal.

História de um Caracol que descobriu a importância da lentidão

Os caracóis que vivem no prado chamado País do Dente-de-Leão, estão habituados a um estilo de vida pachorrento e silencioso, escondidos do olhar dos outros animais, e a chamar uns aos outros simplesmente “caracol”. Um deles, no entanto, acha injusto não ter um nome e fica especialmente interessado em conhecer os motivos da lentidão.

Por isso, e apesar da reprovação dos outros caracóis, embarca numa viagem que o vai levar ao encontro de uma coruja melancólica e de uma tartaruga sábia, que o guiam na compreensão do valor da memória e da verdadeira natureza da coragem, e o ajudam a orientar os seus companheiros numa aventura ousada rumo à liberdade.

Esta fábula faz parte do Plano Nacional de Leitura, sendo recomendad0 para alunos da 3º, 4º, 5º e 6º anos de escolaridade.

História de um Cão chamado Leal

Afmau, que significa «leal e fiel» na língua mapuche, a língua da Gente da Terra, é o nome ideal para um filhote de pastor-alemão que demonstra a sua enorme lealdade à vida. Na companhia de Aukamañ, um rapazinho mapuche, Afmau aprende a conhecer o mundo que o rodeia e a respeitar a diversidade da natureza.

Porém, nem todos pensam da mesma forma: um bando de estrangeiros, com costumes estranhos aos da Gente da Terra, chega à aldeia onde Afmau vive, semeando o caos e o medo.

 

História de uma Gaivota e do Gato que a ensinou a voar

Esta é a história de Zorbas, uma gato grande, preto e gordo. Um dia, uma formosa gaivota apanhada por uma maré negra de petróleo deixa ao cuidado dele, momentos antes de morrer, o ovo que acabara de pôr.

Zorbas, que é um gato de palavra, cumprirá as duas promessas que nesse momento dramático lhe é obrigado a fazer: não só criará a pequena gaivota, como também a ensinará a voar. Tudo isto com a ajuda dos seus amigos Secretário, Sabetudo, Barlavento e Colonello, dado que, como se verá, a tarefa não é fácil, sobretudo para um bando de gatos mais habituados a fazer frente à vida dura de um porto como o de Hamburgo do que a fazer de pais de uma cria de gaivota…

Esta fábula faz parte do Plano Nacional de Leitura, sendo recomendad0 para alunos do 7º ano de escolaridade.

História de Um Gato e de Um Rato que se Tornaram Amigos

Max vive em Munique com os seus pais e irmãos — e com Mix, o seu inseparável gato preto com uma mancha branca na barriga. Amigos desde a infância, quando Max cresce e decide mudar de casa, leva Mix consigo. Mas quando Max começa a trabalhar e não pode estar tanto tempo em casa, Mix, que está a envelhecer e a perder a visão, sente-se cada vez mais sozinho.

Um dia, Mix ouve uns passinhos suaves vindos da despensa e descobre que há um ladrão a comer os cereais crocantes do dono. Esperto, Mix deixa-se ficar quieto e, de repente, com a rapidez de outros tempos, estica a pata e sente o corpo trémulo de um minúsculo ratinho. Mex, como é batizado, é um ratinho mexicano, muito medroso e charlatão. Mas os verdadeiros amigos apoiam-se um ao outro e juntos aprendem a partilhar o que de melhor têm dentro de si.

 

Autor Luís Sepúlveda

Nasceu em Ovalle, no Chile, a 4 de outubro de 1949 e morreu a 16 de abril de 2020 em Oviedo, Espanha. Filho de um dono de restaurante e de uma enfermeira, estudou no Instituto Nacional, onde deu os primeiros passos na escrita, influenciado por uma professora de História.

Após os estudos secundários, ingressou na Escola de Teatro da Universidade de Chile e, posteriormente, licenciou-se em Ciências da Comunicação pela Universidade de Heidelberg, na Alemanha.

Em 2016, recebeu o Prémio Eduardo Lourenço – que premeia personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cooperação e da cultura ibérica.

Para além de romancista, foi realizador, roteirista, jornalista e ativista político. Viveu em diversos locais: Moscovo, Brasil, Uruguai, Bolívia, Paraguai, Peru, Equador, Alemanhã e Espanha.

Luís Sepúlveda vendeu mais de 18 milhões de exemplares em todo o mundo e as suas obras estão traduzidas em mais de 60 idiomas.

Sobre o Autor

Cláudia Pereira

Cláudia Pereira

Educadora Social, formadora certificada, especialista em educação, dificuldades de aprendizagem e necessidades educativas especiais.
Empreendedora digital, criativa e apaixonada por implementar novas ideias!