Dislexia NEE

Dislexia: 8 dicas que facilitam o ensino de crianças com esta dificuldade de aprendizagem

Cláudia Pereira
Escrito por Cláudia Pereira

Algumas adaptações e pequenos ajustes fazem maravilhas no momento da criança com dislexia aprender. Não se trata de fazer as tarefas pela criança, mas de facilitar o processo de aprendizagem, permitindo que a criança atinja o seu potencial e evitando que desmotiva enquanto aprende.


1. Leia os Materiais para a Criança

É muito frustrante para a criança e para os pais a limitação que, normalmente, o disléxico apresenta para ler os enunciados. Assim, para facilitar o processo, leia todo o material que for preciso. A criança com dislexia compreende perfeitamente o que é pedido, apenas apresenta dificuldade na leitura.

Gravar partes do livro para o seu filho estudar sozinho ou ter audiolivros disponíveis com o conteúdo da matéria, são bons recursos para ajudar o seu filho na hora de aprender.

2. Permita respostas orais em vez de escritas

A dificuldade com a escrita (disgrafia) e a ortografia podem tornar as tarefas escritas difíceis e morosas. Sabemos que o treino da escrita é importante, mas permita que a criança organize em primeiro lugar o seu pensamento sobre um determinado assunto.

Posteriormente, quando a criança já estiver mais fluente, faça exercícios específicos de escrita e de correção ortográfica. Nem tudo tem de ter leitura ou escrita!

3. Conceda tempo extra para as tarefas

Este é um ajuste super simples de fazer, mas extremamente eficaz para as crianças com dislexia. Como lê mais devagar e processa a informação lida de forma mais lenta, o simples facto de permitir mais tempo para executar tarefas, traduz-se num trabalho bem realizado e satisfatório (para a criança e para os pais!).

4. Dê uma instrução de cada vez

A criança com dislexia apresenta dificuldades no processamento de informações, ou seja, vai ter dificuldade em lembrar-se de uma longa lista de tarefas que tem de fazer. Por iso, forneça instruções claras e com pouca informação, preferencialmente uma tarefa de cada vez.

Por exemplo, pode utilizar um sistema de cores para a criança aprender a priorizar as tarefas (vermelho- urgente, azul – prioridade média, verde – prioridade baixa) ou simplesmente utilizar post.it com as tarefas (um post.it para cada coisas que a criança tem de fazer, assim a criança vai receber uma instrução de cada vez).

5. Crie momentos de aprendizagem curtos

Para aprender matéria nova ou solidificar conhecimento já trabalhado, o disléxico precisa de momentos curtos, onde são disponibilizadas informações claras e práticas. 10-15 minutos são suficientes para transmitir a informação. Após esse tempo, faça uma pausa, preferencialmente com uma atividade artística ou motora, não relacionada com escola. No bloco seguinte, poderá voltar ao mesmo tema, por exemplo, utilizando um jogo, quizz ou algum tipo de exercício que permita testar o conhecimento.

Para melhorar a aprendizagem, utilize vários blocos de 10-15 minutos, intercalando matérias e atividades lúdicas. É verdade que implica mais planeamento, mas também vai permitir que a criança com dislexia aprenda num ambiente relaxado e sem pressão, sendo uma mais valia para o seu progresso escolar.

6. Defina o tempo para cada tarefa

Estipule claramente um tempo para cada tarefa. Desta forma, permite que a criança com dislexia saiba precisamente durante quanto tempo tem de manter o foco. Como já mencionamos na se esqueça da importâncias das pausas, para que p cérebro da criança relaxe e esteja disponível para aprender novamente.

Dependendo da idade da criança pode utilizar ferramentas para gerir o tempo. Desde o simples temporizador de cozinha até aplicativos no telemóvel ou tablet, passando por plugins no computador. O Tomato Timer é um exemplo simples de utilizar, que avisa sonoramente quando é tempo de pausa. O Online Stopwatch também é interessante, permitindo estipular o tempo à medida.

7. Aborde os temas de diferentes ângulos

Apresente a informação utilizando várias formas e use diversos recursos para rever a matéria. Isto vai permitir exercitar a memória e a organização de pensamentos. Treinar a memória da forma tradicional, com simples repetição da informação não é eficiente para ensinar crianças com dislexia. Vão sentir-se frustradas, irritadas e não vão aprender!

Por isso, utilize exemplos e experiências da vida real, jogos, brincadeiras, filmes e outros recursos. Por exemplo, para aprender os estados do Brasil ou os países da Europa pode criar um puzzle do mapa:

  • Misture todas as peças numa ponta da divisão;
  • Peça à criança para ir atirar um dado (o número que sair corresponde à quantidade de peças que pode usar naquela vez);
  • Com as peças na mão a criança dá uma corrida até à outra ponta da divisão e começa a montar o puzzle;
  • Repita até terminar!

8. Recorra à tecnologia

Existem imensos recursos que podem ser utilizados para promover a aprendizagem. Primeiro pense na idade da criança, depois na matéria que pretende ensinar. A partir deste momento recorra a tecnologia básica ou alta tecnologia.

Por exemplo, pode utilizar marcadores coloridos, corretor ortográfico, réguas para orientar a leitura ou aplicativos de fala para texto ou texto para fala, aplicativos organizacionais ou software de previsão de palavras.

Sobre o Autor

Cláudia Pereira

Cláudia Pereira

Educadora Social, formadora certificada, especialista em educação, dificuldades de aprendizagem e necessidades educativas especiais.
Empreendedora digital, criativa e apaixonada por implementar novas ideias!