Saúde Infantil

Diabetes Infantil: sintomas, tratamento e cuidados a ter

Marcelle da Costa
Escrito por Marcelle da Costa

A diabetes na criança é sempre do tipo 1, (DM1) uma doença genética que não tem cura e que precisa de cuidados com alimentação e medicação por toda vida. Raramente surge antes dos 5 anos de idade, sendo mais comum o seu diagnóstico entre os 9 e 12 anos de idade.


Sintomas de Diabetes na Criança

Os primeiros sintomas de diabetes na criança são percebidos pelos pais, nem pelo médico que a acompanha. O aumento da sede pode ficar disfarçado pelo choro e inquietação e o aumento da urina pode ser mascarado pelo uso de fraldas. Assim a doença avança, ficando mais grave com o passar do tempo.

Os sintomas da diabetes na criança são:

  • Aumento da sede e da fome;
  • Aumento da frequência urinária;
  • Tonturas;
  • Perda de peso.

O mais comum é que a criança seja diagnosticada com Diabetes Mellitus Tipo 1 perto dos 10 anos de idade, quando já apresenta situações mais graves, devido à descompensação da taxa de açúcar no sangue.

A DM1 é causada por uma alteração genética e não por hábitos, como acontece no caso da Diabetes tipo 2. Ela é causada por uma alteração no pâncreas que dificulta/impede a boa absorção de glicose pelas células sanguíneas, e estas acabam por se acumular no sangue.

Tratamento para Diabetes na Criança

O tratamento requer indicação médica e é preciso o cuidado dos pais, já que a criança não é capaz de seguir todas as orientações sozinha. Além de cuidados com a alimentação, deve usar-se insulina para regular a quantidade de açúcar no sangue.

Insulina:
A insulina deve ser aplicada na gordurinha localizada na barriga, coxas, glúteos ou braços, sempre intercalando os locais de aplicação diariamente para que não surja lipodistrofia (distribuição anormal de gordura corporal). Até os 12 anos os pais precisam aplicar a insulina e a partir dessa fase, o adolescente poderá aplicá-la sozinho.

Alimentação:
A criança precisa comer a cada 3 horas, sempre de forma saudável, com legumes, frutas, hortaliças, carnes magras. Os carboidratos devem ser sempre integrais, reduzir ao mínimo o uso de açúcar (pode-se trocar por adoçante). Doces, balas e chocolates podem ser consumidos raramente, em momentos especiais, como no seu próprio aniversário.

Atividade física:
A criança pode e deve praticar exercícios regularmente, a educação física na escola está liberada e ela deve brincar e correr com os seus amigos. Mas sempre antes de iniciar a educação física ou o treino de futebol, deve-se verificar a glicemia para não haver uma quebra do açúcar muito rápido no sangue.

Anotações no diário: 
Para um bom controle da glicemia é importante que os pais anotem diariamente os valores da glicemia após ‘picar o dedo’ da criança com o glicosímetro.

Bibliografia

  • Abordagem do Diabetes Melito na Primeira Infância. Arq Bras Endrocrinol Metab, pg 52-54. 2008.
  • Crianças e Jovens com Diabetes Mellitus Tipo 1. Manual de formação para apoio aos profissionais de saúde e de educação. Ministério da Saúde. Direção Geral da Saúde. 2019.

Sobre o Autor

Marcelle da Costa

Marcelle da Costa

Fisioterapeuta credenciada, com formação em Psicomotricidade e Desenvolvimento Infantil.
Empreendedora social, prática e sempre pronta a ajudar!