Saúde Infantil

Coronavírus: o que fazer quando o seu filho tem COVID-19

Marcelle da Costa
Escrito por Marcelle da Costa

A COVID-19 é uma doença recente que pode causar graves complicações respiratórias inclusive nas crianças. No entanto, a maioria das crianças infetadas não apresenta nenhum sintoma ou apresenta sintomas muito leves, semelhantes a uma gripe ou resfriado.


Sintomas de Coronavírus na Criança

Nas crianças o coronavírus manifesta-se com:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Congestão nasal;
  • Coriza;
  • Dor de garganta;
  • Aumento da frequência respiratória;
  • Ruídos ao respirar;
  • Podem ocorrer vômito e diarreia (não presente nos adultos).

Se a criança apresentar estes sintomas, deve ligar para o 136 (ou 112 em Portugal) ou para o pediatra que acompanha a criança, se não tiver, poderá ir à Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência.

Normalmente, as crianças infetadas com o coronavírus são aquelas que possuem pais ou parentes que vivem na mesma casa com infeção confirmada através de exames.

Os sintomas surgem em média 5 dias após a contaminação, mas de forma menos habitual podem surgir até o 14.º dia após o contacto com o vírus.

Tratamento para Coronavírus na Criança

Se ficar comprovado que a criança está com COVID-19 deve manter a calma. A grande maioria das crianças apresenta a forma leve da doença e não tem grandes complicações. O médico pode receitar um remédio para baixar a febre como a Dipirona, aconselhar repouso e uma boa hidratação. Para combater a coriza também pode receitar um remédio anti-alérgico, mas nenhum medicamento deve ser utilizado sem orientação médica.

Muitos médicos pediatras estão acompanhando seus pacientes por vídeo-chamadas e mensagens eletrônicas para evitar que os pais tenham que sair de casa, espalhando o vírus.

Não existe comprovação de que remédios como a Cloroquina e Azitromicina possam ser utilizados nas crianças e seu uso pode ser muito perigoso para saúde da criança e para a reação do vírus que pode se tornar ainda mais forte e resistente aos medicamentos existentes. Dessa forma, estes medicamentos são contraindicados, especialmente nas crianças com COVID-19.

Sinais de complicações devido ao Coronavírus

Deve procurar-se ajuda médica o quanto antes, se a criança apresentar os seguintes sintomas:

  • Frequência respiratória aumentada;
  • Palidez;
  • Respiração rápida ou profunda, com batimento da asa do nariz;
  • Perda do apetite;
  • Febre persistente;
  • Convulsão.

Neste caso, a criança deve ser submetida a exames e deverá permanecer internada no hospital por alguns dias até que se recupere completamente.

Medidas gerais para quando alguém na família estiver com Coronavírus

  • A pessoa infetada deve ficar resguardada no quarto, evitando passear pela casa. Seu banheiro deve ser de uso exclusivo. Quando a criança está infetada, mas existem outras pessoas na casa que não estão doentes e que são grupos de risco, a criança pode ficar limitada ao quarto e à sala, enquanto que a pessoa do grupo de risco fica resguardada noutro quarto;
  • Manter a casa bem ventilada, sempre que possível com as janelas abertas;
  • Higienizar as superfícies e o chão 2 a 3 vezes por dia, com uma mistura de água com água sanitária ou cloro. Limitar os brinquedos que a criança pode usufruir nesse período;
  • Não receber visitas em casa até que todos se recuperem bem. Estima-se que o vírus possa permanecer nas superfícies por até 8 horas e no ar por até 1 hora;
  • Seguir toda a orientação médica em relação ao tratamento e buscar ajuda médica caso haja piora dos sintomas ou se a febre não baixar;
  • Lavar as mãos com água e sabão várias vezes ao dia, ou em alternativa usar álcool em gel;
  • Se for preciso sair de casa, sempre usar máscara para cobrir o nariz e a boca. Esta deve ser lavada com água e sabão e deve-se deixar de molho por 20 minutos na água sanitária.

Sobre o Autor

Marcelle da Costa

Marcelle da Costa

Fisioterapeuta credenciada, com formação em Psicomotricidade e Desenvolvimento Infantil.
Empreendedora social, prática e sempre pronta a ajudar!