Saúde Infantil

Câncer Infantil: tipos, sintomas e tratamentos

Marcelle da Costa
Escrito por Marcelle da Costa

O Câncer infantil cresce mais rápido, mas também responde melhor à quimioterapia, com uma chance de sucesso de 80%. Chama-se câncer o crescimento de células de forma desordenada em algum local do corpo.


Sintomas que podem indicar câncer infantil

  • Febre persistente;
  • Emagrecimento, sem mudança na alimentação;
  • A criança reclama de dor de cabeça;
  • Manchas roxas pelo corpo, que surgem sem quedas ou traumas;
  • Vômito logo de manhã;
  • Dor nos ossos ou articulações;
  • Aumento do inchaço;
  • Sangramento de começa de repente;
  • Suor noturno;
  • Caroço, alto ou massa em alguma parte do corpo;
  • A membrana ao redor dos olhos se torna muito pálida;
  • Apatia e cansaço mesmo com pouco esforço, perda do interesse em brincar.

Estes sintomas podem ser notados de forma isolada e não é necessário estarem todos da lista para o médico desconfiar de câncer na criança, mas outras causas devem ser investigadas através de exames complementares, como sangue e imagens. Definir exatamente qual tipo de tumor maligno a criança possui é a melhor forma de iniciar o tratamento mais adequado para cada caso.

Tipos mais comuns no Brasil

Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer) 33% dos casos de câncer infantil são de Leucemias, 16% tumores do sistema nervoso central e 14% são Linfomas.

Diferentemente do que ocorre em adultos, no câncer infantil não existem fatores ambientais envolvidos, e normalmente existe uma causa genética envolvida.

Formas de tratamento

O médico oncologista, juntamente com uma equipe de vários profissionais da saúde, irá orientar sobre o tipo de tratamento indicado para cada caso, em particular. As opções são cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Além disso é sempre importante pensar no bem-estar da criança e de sua família, pois existem tratamentos com efeitos colaterais tão desagradáveis que acabam sendo desaconselhados. É importante encontrar o equilíbrio entre as partes para que a criança receba o melhor tratamento.

O tratamento deve ser sempre realizado num centro de tratamento específico e é totalmente gratuito, estando acessível a toda população.

Sobre o Autor

Marcelle da Costa

Marcelle da Costa

Fisioterapeuta credenciada, com formação em Psicomotricidade e Desenvolvimento Infantil.
Empreendedora social, prática e sempre pronta a ajudar!