Parentalidade

Jogos online perigosos para as crianças: saiba como prevenir!

Marcelle da Costa
Escrito por Marcelle da Costa

No mundo virtual existem inúmeros perigos à porta e, muitas vezes, as crianças e os adolescentes ainda não têm maturidade para reconhecer as brincadeiras e jogos que podem machucar ou colocar a vida em risco.


Deixar uma criança sozinha com acesso à internet pode ser muitíssimo perigoso, pois para ela, todas as pessoas são confiáveis e é fácil ser enganada por uma pessoa mal-intencionada. Dessa forma, é responsabilidade dos pais colocar um freio (travão) nesse tipo de comportamento, restringindo o uso da internet e conversando muito sobre os perigos que estão presentes no mundo virtual.

Porque as crianças caem nos desafios da internet

De tempos em tempos, surgem os famosos desafios da internet que consistem em um ou outro jogo que sempre representa um risco para a saúde, e que pode incitar, até mesmo, ao suicídio.

Estes jogos são praticados por crianças ou adolescentes sozinhos ou em grupo, para se auto-afirmarem como indivíduos. Basicamente, se a criança ou adolescente for convidada para o desafio e não aceitar, além de ser ridicularizado em frente aos colegas, poderá ter informações pessoais expostas.

Até ao final da adolescência uma área específica do cérebro, o córtex pré-frontal, ainda não está devidamente formado. Por isso, a capacidade de raciocinar se um dado jogo pode ser perigoso ou mortal ainda é difícil. Juntando ao fato de que, nessa fase a criança ou adolescente ainda precisa de se descobrir como indivíduo, e ninguém gosta de ser o fraco da história, é um prato cheio para predadores, que seguem à solta cometendo inúmeros crimes pela internet.

7 Jogos perigosos da internet

Alguns exemplos de desafios perigosos na internet são:

  1. Baleia azul: são 50 níveis, sendo que o último é se suicidar;
  2. Jonathan Galindo: uma personagem fictícia usa a imagem de um homem pateta que chama a criança ou adolescente para uma conversa privada e dá várias instruções que devem ser seguidas até ao fim, a última é o suicídio;
  3. Desafio da rasteira: 3 jovens ficam lado a lado formando um círculo, um deles tem que saltar e enquanto isso, os outros fazem uma rasteira, fazendo com que ele caia para frente ou para trás, sem tempo de reação. Provoca desmaio e traumatismo craniano;
  4. Comer canela: consiste em colocar na boca 1 colher de canela em pó, e respirar a seguir. Provoca tosse intensa e pode causar sérios problemas respiratórios em quem já sofre de asma, por exemplo;
  5. Inalar desodorante: é basicamente colocar desodorante em spray dentro do nariz ou da boca, respirando a seguir. Provoca queimadura nas vias aéreas;
  6. Colocar uma camisinha na cabeça: Consiste em ‘vestir’ o preservativo na cabeça, impedindo a respiração, e provocando o desmaio. Pode levar à morte, caso o preservativo não seja retirado;
  7. Água quente: alguém joga um balde com água a ferver no outro ou o obriga a tomar água fervendo. Isso provoca queimaduras graves, que necessitam de internamento hospitalar.

Como evitar que seus filhos caiam nos desafios perigosos da internet

Muita conversa, de forma clara e aberta sobre a realidade dos jogos e seus perigos, além de restrição ao acesso à internet. Já que a internet contém inúmeras informações úteis para o desenvolvimento infantil é praticamente impossível fazer com que a criança ou jovem não tenha realmente acesso à internet, então o segredo está em criar regras para o uso seguro.

Os pais podem ter uma conta Google e deixar que a criança ou jovem use somente a conta dos pais para navegar online. No histórico do youtube, por exemplo, ficam registrados todos os vídeos que a criança assistiu. É bom dar uma olhada por lá de forma regular.

Não permitir o uso da internet de madrugada, pois é nestas horas que os maiores ataques acontecem. Também pode instruir a criança ou jovem a não conversar com ninguém num jogo online. Aquele que diz ser seu amigo ou vizinho, pode não ser.

Sobre o Autor

Marcelle da Costa

Marcelle da Costa

Fisioterapeuta credenciada, com formação em Psicomotricidade e Desenvolvimento Infantil.
Empreendedora social, prática e sempre pronta a ajudar!