Adivinhas com Resposta Atividades

Adivinhas de Frutas

Cláudia Pereira
Escrito por Cláudia Pereira

Adivinhas sobre frutos são uma forma interessante de começar a falar sobre alimentação ou sobre as características de um determinado fruto. Experimente com os mais pequenos!



Adivinhas de Frutas com Respostas

O que é um mundo verde onde a terra é vermelha e os habitantes negros?
Melancia
Sou vermelhinho e pequeno
Cheio de pintinhas pretas
Sou uma delícia na sobremesa
Quem sou eu?
Morango
Sou marrom por fora
Branco por dentro
E sou muito duro.
Quem sou eu?
Coco
Sou vermelho e sumarento
Salpicado de pintinhas
Fico bem com chantilly
Comem-me numas tacinhas.
Morango
Sou branca por dentro
Amarela por fora
E tenho uma casca grossa
Mas com a mão qualquer um me descasca.
Banana
Vestida de Amarelo
No cacho me criei
E até o macaco encantei
Quem sou eu?
Banana
Sou um fruto de Outono
Quando chego a amadurecer
Dou um trabalhão ao dono
Se ele me quiser comer.
Noz
Qual é a coisa, qual é ela?
Alto como pinho, verde como linho
Amargo como fel, doce como mel?
Banana
Por fora somos peludos,
Mas por dentro tão macios…
Há quem nos coma à dentada
Descascados e muito frios.
Pêssego
Uma mocinha na janela
Vestidinha de amarelo
Quem passa pergunta
Se ela é cor-de-canela.
Banana
Visto-me sempre de verde
Mas vermelho é o meu sumo
Tira a casaca e as pevides
De mim comes quase sempre tudo.
Melancia
Sou verde
Mas não sou alface
Venho em cacho
Mas não sou banana
Quem sou eu?
Uva
Por dentro sou vermelha
Por fora toda verdinha
Com sementes bem pretinhas
Todos me saboreiam.
Melancia
Sou bem verde
Branquinho por dentro
Sou muito azedo
Quem sou?
Limão
Eu sou grande
Verde por fora e vermelhinha por dentro
Sou cheia de sementinhas pretas
Quem sou eu?
Melancia
Sou amarelo por fora
Laranja por dentro
Tenho semente preta por dentro
Quem sou eu?
Mamão
Muitas damas num castelo, todas vestem de amarelo! O que é?
Laranjas
Uso coroa
mas não sou rei
sou amarelo mas não sou banana
quem sou eu?
Abacaxi
No mar tenho meu príncipio,
ter na terra nascido,
o primeiro que tomei
logo mo levou o vento
que quase despido fiquei.
Marmelo
No mar tenho meu príncipio,
ter na terra nascido,
o primeiro que tomei
logo mo levou o vento
que quase despido fiquei.
Marmelo
Verde foi o meu nascimento,
coroaram-me em pequenina,
do coração me tiraram
mil pedras finas que eu tinha.
Romã
Alto foi o meu nascimento,
fui criado num convento,
e quando me ia a rir,
tamanho trambolhão dei
e à minha casinha não voltei!
Ouriço e Castanha
Verde que verde nasceu,
deita sangue sem dor,
faz três mudanças no ano,
sem nenhuma ser de amor.
Amora
Verde que verde nasceu,
deita sangue sem dor,
faz três mudanças no ano,
sem nenhuma ser de amor.
Amora

Sobre o Autor

Cláudia Pereira

Cláudia Pereira

Empreendedora Digital, formada em Educação Social pela Escola Superior de Educação do Porto desde 2002.
Formadora certificada, especialista em educação infantil, dificuldades de aprendizagem e necessidades educativas especiais.