Síndrome de Tourette na sala de aula

Síndrome de tourette na sala de aula pode ser complicada e perturbadora, tanto para o professor como para os restantes alunos.

Antes de tudo é importante perceber que as reacções do aluno com síndrome de tourette são involuntárias, ou seja o professor deverá ser paciente e compreensivo, tendo consideração pelo aluno. Também é importante criar um clima de aceitação por parte dos outros alunos.

O aluno com esta síndrome e o professor poderão combinar previamente um lugar na sala de aula onde este se poderá dirigir antes de uma crise para estar vontade, mas também para não distrair os restantes alunos da turma. Revela-se eficaz permitir ao aluno com esta síndrome fazer pequenos intervalos para aliviar a tensão assim como para permitir a recuperação após a ocorrência de tiques. Por exemplo, pedir ao aluno para fazer pequenos recados como ir à secretaria, à biblioteca, etc ou simplesmente beber um copo de água.

Pausas entre as actividades também são necessárias e importantes, na medida em que permitem ao aluno libertar a tensão interior.

No caso de trabalhos o professor deve certificar-se que o aluno compreendeu o que é pedido e para quando. Isto alivia a tensão, especialmente quando tem de se realizar a tarefa num curto espaço de tempo. As provas escritas e outras avaliações formais, dado que têm um tempo determinado são mesmo angustiantes para estes alunos, ocorrendo, na maioria das vezes, tiques. Assim, deve deixar-se que o aluno siga o seu próprio ritmo, recorrendo, se possível a computadores, máquinas de escrever, gravadores áudio eliminando assim alguma da tensão sentida.

Por um lado, se o comportamento do aluno não causa distracção deve ser ignorado, por outro lado, se causa problemas a nível de sala de aula, algumas medidas devem ser tomadas. Por exemplo, se o aluno bate na secretária provocando um ruído constante pode revestir-se a superfície em causa com borracha ou pano, evitando assim a distracção dos outros colegas da turma.

Para evitar confrontos e situações desagradáveis para o aluno com síndrome de tourette, deve ser permitido que este saia da sala antes da aula terminar ou quando todos tiverem saído acompanhando o professor (dependendo da idade).

Por último, mas não menos importante, salienta-se que alunos com síndrome de tourette normalmente têm uma baixa auto estima, sendo importante que sempre que o professor ou educador interage com o aluno demonstre uma postura firme, mas positiva e de aceitação em todas as ocasiões.