Roer as Unhas: Como ajudar os mais novos?

O nome médico é Onicofagia e é simplesmente o hábito de roer as unhas, um dos hábitos mais comuns em crianças, jovens e adultos.  Estima-se que cerca de 45%  das crianças roam as unhas em algum momento. Muitas vezes, o hábito de roer as unhas perdura na idade adulta, de acordo com as estatísticas, entre 19 a 29% e já na fase da velhice cerca de 5% (maiores de 65 anos).

Porque as Crianças Roem as Unhas?

O acto de roer as unhas normalmente inicia-se na infância, simplesmente como um acto de imitação, ou seja as crianças roem as unhas porque observam os seus pais ou amigos a fazê-lo. De forma geral, o onicofagia não é motivo de preocupação para os pais, pois, na ausência de condições estimulantes, desaparece com o passar do tempo.
Ao roer as unhas, a criança, adolescente ou adulto, usa os dentes como se fossem uma serra: corta as unhas com força, trinca as peles que rodeiam a unha e só pára quando sangram, passando naturalmente para a unha seguinte.

Como parar de Roer as Unhas?

Na adolescência e na idade adulta, considera-se que roer as unhas é consequência de estado de ansiedade ou nervosismo, problemas familiares ou stress do dia-a-dia. Pode transformar-se num acto inconsciente, especialmente em situações de stress, nervosismo, insatisfação pessoal, falta de segurança, vergonha ou timidez, sendo difícil deixar de o fazer.

A abordagem deve ser abrangente, porque parar de roer as unhas é mais do que físico, implica cuidar do interior, da parte emocional da criança, adolescente ou adulto (pode consultar ajuda especializada, por exemplo psicoterapia). Algumas dicas práticas para lidar com esta problemática nos mais novos:

  • Utilizar verniz próprio (que deixa uma mau sabor na boca);
  • Mascar chiclete;
  • Manter a unhas pequenas e cuidadas;
  • Distrair a criança com um objeto no momento em que está a roer as unhas;
  • Identificar a origem da onicofagia e trabalhar essa questão em família e junto de profissionais.

Atualizado em 17/10/2018