Onicofagia – Roer as Unhas

 

Onicofagia – o hábito de roer as unhas – é um dos hábitos bastante comum em crianças, jovens e adultos.  Estima-se que a onicofagia afete cerca de 45%  das crianças em algum momento. Muitas vezes, o hábito de roer as unhas perdura na idade adulta, de acordo com as estatísticas, entre 19 a 29% e já na fase da velhice (maiores de 65 anos) cerca de 5%.

Onicofagia

O acto de roer as unhas – onicofagia –  normalmente inicia-se na infância, simplesmente como um acto de imitação, ou seja as crianças roem as unhas porque observam os seus pais a fazê-lo. De forma geral, o onicofagia não é motivo de preocupação para os pais, pois, na ausência de condições estimulantes, desaparece com o passar do tempo.

Ao roer as unhas, a criança, adolescente ou adulto, usa os dentes como se fossem uma serra: corta as unhas com força, trinca as peles que rodeiam a unha e só para quando sangram, passando naturalmente para a unha seguinte.

Como parar de roer as unhas

Na adolescência e na idade adulta, considera-se que roer as unhas é consequência de estado de ansiedade ou nervosismo, problemas familiares ou stress do dia-a-dia. Pode transformar-se num acto inconsciente, especialmente em situações de stress, nervosismo, insatisfação pessoal, falta de segurança, vergonha ou timidez, sendo difícil deixar de o fazer.

Inicialmente poderá recorrer a verniz próprio (que deixa uma mau sabor na boca), mascar chiclete e manter a unhas pequenas e cuidadas. Parar de roer as unhas é mais do que físico, implica cuidar do interior, da parte emocional da criança, adolescente ou adulto. Assim, se estiver associada a outros problemas precisará de ajuda especializada, por exemplo psicoterapia.