Musicoterapia: Efeitos Musculares e Motores

A musicoterapia tem efeitos musculares e motores: “O facto de escutar música – no puro sentido fisiológico do termo – equivale a expôr-se a uma multidão de estímulos sensoriais, cada um dos quais pode ser considerado como capaz de activar o fenómeno de restituição psicossensorial.” (lowenstein, 1933).

A música calma ou a música estimulante provoca efeitos musculares e motores:

  • uma música estimulante pode provocar o reflexo pupilar à luz;
  • uma música calma pode provocar fortes contracções peristálticas no estômago (sessões de musicoterapia utilizando o canto gregoriano ocasionaram 60% de taxa de sucesso em pacientes com dispepsia e 20% em pacientes com úlcera duodenal);
  • uma música calma pode ajudar em patologias digestivas e uma música excitante pode produzir espasmos gástricos e até mesmo indigestão;
  • uma música estimulante incrementa a actividade muscular;
  • uma música calma tem efeitos relevantes em pessoas sãs ou doentes, por exemplo uma música calma que seja do agrado de uma criança autista promove a sua acção física;
  • a música melodiosa aumenta a produção ao passo que a música mais enérgica a diminui;
  • a música é uma ajuda eficaz para aumentar a resistência à dor.