Espinha Bífida na Sala de Aula

 

Espinha Bífida na sala de aula pode parecer complicado, mas a inclusão destes alunos é extremamente benéfico, pois dessa forma é proporcionado ao aluno com esta problemática uma padrão escolar o mais normal possível.

Espinha Bífida na Sala de Aula

Alguns alunos com espinha bífida podem apresentar outras problemáticas como convulsões, paralisia cerebral, dificuldades de aprendizagem ou outras.

É importante estabelecer objectivos realistas para estes alunos, para que se sintam encorajados, aumentando assim o o seu desejo de ser bem sucedidos. Devem ser enfatizados os seus pontos fortes e devem ser dadas oportunidades  para mostrar os seus talentos, promovendo desta forma, a aprovação dos seus companheiros.

Os comentários e as reacções associadas aos mesmos devem ser sempre positivos, para que a sua auto-confiança, auto-estima e a percepção do seu valor pessoal sejam reforçadas.

Dependendo do tipo específico de espinha bífida, podem ser necessárias adaptações estruturais especiais, tais como a instalação de rampas para entrada nas salas ou de elevadores para se deslocar entre os diversos pisos. Pode igualmente ser preciso adquirir equipamento específico, como cadeiras de rodas, muletas ou aparelhos.