4 Mitos da Dislexia

 

Aqui vai encontrar 4 mitos da dislexia presentes na nossa cultura, identificados e desmistificados por neurocientistas nas suas pesquisas durante os últimos 20 anos. Dislexia é um tema amplamente estudado, mas ainda persistem alguns mitos acerca da mesma.

1. Dislexia desaparece com o crescimento

Falso. Muitas pessoas desenvolvem estratégias eficazes para lidar com a dislexia, mas esta é uma condição para toda a vida. Estudos na área da neurociência incluem muitos adultos com dislexia.

2. Dislexia é uma outra forma de dizer preguiçoso ou estúpido

Falso. Embora a dislexia seja difícil de diagnosticar de forma precisa, é definitivamente uma dificuldade na aprendizagem da leitura apesar de inteligência normal e esforço. Estudos têm demonstrado diferenças estruturais nas pessoas com dislexia comparadas com as que não têm esta dificuldade de aprendizagem.

3. Dislexia significa ser talentoso em áreas artísticas

Falso. Algumas pessoas com dislexia são dotadas na área artística, no entanto estes talentos podem não estar relacionados com a dislexia, visto que não é um fator comum a todos os disléxicos.

4. Dislexia consiste essencialmente em trocar a ordem das letras

Falso. O princípio científico atual acerca de dislexia baseia-se no conceito de processamento fonológico, ou seja, dificuldades na percepção e processamento de fonemas – pequenas unidades de som que representam diferentes sons de uma língua. Nalgumas línguas, como inglês, alemão ou francês isto torna-se particularmente difícil, na medida em que o mapa fonológico é complicado e  frequentemente inconsistente. Italiano ou Espanhol são línguas mais fáceis nesta área, porque as letras representam consistentemente determinados sons.

Veja mais mitos sobre a dislexia.