10 Dicas para Educar

 

10 dicas para educar as crianças de forma equilibrada, estabelecendo regras e limites adequados às idades e promovendo a obediência saudável da criança.

É um facto que todas as crianças precisam de limites e regras de comportamento e vivência social. Mas como fazer com que as crianças obedeçam às orientações parentais? Educar vai apara além de se fazer obedecer em determinado momento. Implica conquistar o respeito dos mais pequenos, para que estes cumpram as regras estabelecidas mesmo quando os pais não estão presentes.

1. Exerça autoridade e não autoritarismo.

Pais autoritários usam ameaças, gritos e violência física para serem obedecidos. Conseguem que a criança obedeça num determinado momento, mas na realidade não estão a educar. A criança não compreende o que se passa e não vai comportar-se da maneira desejada quando os pais não estiverem presentes. Por outro lado, os pais que exerçem autoridade combinam regras em conjunto com os filhos e são suficientemente persistentes para as fazerem cumprir, ensinando a criança que existem consequências quando as mesmas não são cumpridas.

2. Estabeleça Limites

Limites são importantes, são orientações que a criança necessita para saber viver. Ninguém nasce ensinado, por isso os pais têm de orientar a criança ao longo do seu percurso. Adeque os limites à idade e capacidade do seu filho. Não tenha medo de negar algo ao seu filho, apenas está a ensiná-lo que não podemos ter tudo o que queremos.

3. Promova a responsabilidade

As crianças podem aprender a ser responsáveis desde pequeninas. Se a criança brinca com um brinquedo porque não ensiná-la a arrumá-lo antes da hora de ir dormir? Ou ajudar nalguma tarefa doméstica, como trocar as toalhas da casa de banho? Naturalmente que se deve adequar as tarefas às idades, mas o conceito é o mesmo: ensinar que nada aparece feito, alguém fez!

4. Não faça todas as vontades da criança

Os filhos fazem parte de uma estrutura – a família e portanto precisam compreender que existem outros membros na mesma. A televisão não tem de estar sempre a passar desenhos animados, a música não tem de ser sempre para as crianças, o local a visitar não tem de ter apenas em conta a vontade da criança.  É importante os filhos perceberem que os pais também gostam de assistir notícias ou ouvir música, por exemplo. É na família que se aprende direitos, deveres e cedências, que todos contam com as suas diferenças e especificidades.

5. Seja firme na hora da refeição

Todos os pais e educadores já passaram pela experiência de ter uma criança que se recusa a comer. A criança recusa a comida, chora, faz birra, às vezes atira os alimentos e até força o vómito. O que fazer? Acima de tudo não perder a calma e não ceder à pressão causada pela criança deixando apenas comer o que esta deseja. Os pais sabem qual o melhor tipo de alimentação e devem ajudar a criança a perceber o que faz bem e o que faz mal ao organismo.

 6. Enfrente as Birras

Normalmente quando algo é negado à criança existe uma grande probabilidade de surgir uma birra! Pode ser na hora da refeição, do banho, quando é para vir embora do parque ou numa loja de brinquedos. A birra é a forma das crianças expressarem a frustração. Os pais devem mostrar à criança que este não é um comportamento adequado, mas muitas vezes acabam por premiar o mesmo, cedendo ao desejo da criança para esta parar de chorar ou de se atirar para o chão. Não ceda, apenas está a ensinar a chorar mais alto da próxima vez!

7. Estabeleça consequências e castigos justos

A criança não cumpriu o que foi pedido ou uma regra|limite estabelecido? Então, terá uma consequência ou castigo, de acordo com a situação em si e com a idade da criança. Para os mais pequenos tem de ser algo imediato porque esquecem com facilidade. Para os mais crescidos pode estabelecer a consequência ou castigo com eles. Seja firme e assertivo na aplicação e não faça ameaças impossíveis.

8. Esteja de acordo

Pai e mãe podem ter pontos de vista diferentes, até porque vieram de estruturas familiares com valores distintos, mas discordem privadamente, nunca à frente da criança. É muito importante não desautorizar o outro. Se não têm uma opinião conjunta digam à criança para aguardar, conversem e só depois respondam.

9. Seja um exemplo

A criança tem de comer sopa? E salada? Tem de escovar os dentes? Tem de ajudar nas tarefas de casa? Então, também tem de ver o pai e a mãe a fazer todas essas coisas. As crianças aprendem mais depressa com o comportamento dos pais do que com as palavras.

10. Cuide de si

Educar não é instantâneo, é um processo demorado, com muitos altos e baixos. Não duvide de si como pai ou educador, não se compare com outros. Verdadeiros resultados educacionais surgem com o tempo e dedicação. Conscientize-se que muitas vezes vai receber beijinhos e abraços, mas noutros momentos será a vez das birras e dos afastamentos. Tudo faz parte. Aproveite cada momento bom, mas não se deixe ir abaixo nos menos bons. Tire tempo para cuidar de si, para se dedicar aos seus interesses pessoais, promova momentos de descanso lúdico sem sentimentos de culpa. Pais descansados fisica e mentalmente estão melhor preparados para educar os seus filhos!